* PAZ, HARMONIA e AMOR *

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

No caminho das emoções: Doce espera


No caminho das emoções: Doce espera:


Luciana Silveira
José Manuel Brazão

No caminho das emoções: NO CAMINHO DAS EMOÇÕES na minha Alma!


No caminho das emoções: NO CAMINHO DAS EMOÇÕES na minha Alma!:


José Manuel Brazão




LU
Homenagem que te presto aqui no nosso Blog por seres Autora residente do Blog No caminho e grande Amiga que conto na minha Vida!
Beijo carinhoso do ZÉ

terça-feira, 27 de setembro de 2011

EU e as minhas Poetas

Foram tantos
e tantos poemas,
poemas de amor
que te fiz!

Tu e eu
nascemos para a Poesia,
para encantar os outros,
alimentando as suas almas!

Quantas vezes
sofríamos nas nossas Vidas
e a inspiração,
superava tudo isso!

Os poemas que te fiz,
sentidos pela voz do coração,
derramaram amor,
muito amor,
que te comoveram
e davam forças
para sair de ti
Um outro poema,
suave,
expressivo,
emocionante,
iluminando
quem o lesse!

Dos poemas que te fiz,
ficam os sentimentos,
nas palavras
que o Poeta não renega
e guarda em seu coração!

José Manuel Brazão

* Dedico às Poetas minhas parceiras fixas em duplas de poemas: Graciele Gessner, Luciana Silveira, Regina Ragazzi e Sandra Freitas *

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

sábado, 24 de setembro de 2011

Promessa

Os olhos fecham-se
A viagem recomeça
Aquele beijo guardado
Ainda não dado
Ilumina a mente
Promessa de felicidade
Abandono-me na cidade
E plena de liberdade
Vou ao encontro teu
Quisera realizar
A quimera de te amar
E de novo me encontrar.

Luciana Silveira

As flores que vieram do nosso antigo Blog.


LU
Quando reapareces
e te leio, valeu a pena!

Beijo do ZÉ

domingo, 11 de setembro de 2011

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

A minha perspectiva para o arrependimento como gesto de Amor!

Neste momento da Vida estou procurando sobretudo olhar para mim para depois dar-me aos outros com maior segurança e convicção não apagando o passado e o presente, mas começando um novo fim!

Estou na fase de reflectir sobre o arrependimento que deve existir em nós. Este gesto de amor (para mim) é óbvio que tem a ver com aquilo, que fiz como inconsciente, que possa ter-se reflectido em outras pessoas. Nisso fico consciente em momentos serenos, que levam a minha Alma a dizer ao coração, porque não estive bem!

Reago logo entrando em contacto com essa pessoa e tento explicar os meus erros e peço perdão para eles. Entretanto já fiz o mesmo com Deus!

Este meu gesto deverá ser entendido com amor pela minha capacidade de reconhecimento e arrependimento.

E mesmo que os meus erros façam parte de uma actuação em que nem sempre fui ajudado, mas antes provocado, para mim são sempre erros e assumo-os! O meu gesto fica, se fôr aceite, tudo bem!

Se não aceitarem deixou de ser problema que me atormente e passará ficar na consciência da pessoa, que afinal não evoluiu nem no amor, nem na compaixão para com o seu irmão terreno!

Sendo assim planarei, voarei por aí doando muito melhor o amor em mim!

José Manuel Brazão

Tu poderás planar a grandes alturas
Tu poderás planar a grandes alturas com um coração cheio de louvor e gratidão. Mas, tal como a pequena cotovia terás de levantar voo do chão, devendo fazer esse esforço. Não necessita ser tenso; pode ser um esforço alegre, feito sem preocupações. Porquê, ficar pregado ao chão, se agindo tu podes mudar completamente a tua vida? Que os teus objectivos sejam elevados! Quanto mais elevados, melhor.
Espera pelos mais maravilhosos acontecimentos, não no futuro, mas agora mesmo. Avança a passos largos, constantes e firmes, sabendo interiormente e com segurança que alcançarás todos os objectivos que tiveres fixado. Por que não ter uma atitude positiva hoje? Por que não começar a pôr as rodas a girar? Assim que tiveres feito a tua parte receberás toda a ajuda que pedires, mas não até lá. Tem confiança na tua capacidade para fazer tudo porque alimentas a tua substância de Mim. Tu conseguirás fazer tudo assim que a tua fé e confiança estiverem em Mim.
 EILEEN CADDY – abrindo as portas que há em nós