* PAZ, HARMONIA e AMOR *

quarta-feira, 28 de março de 2012

Não há vontade que se acabe!


Vivo em ti
mesmo que a Vida
nem sempre esteja próxima!

No teu corpo escondes
o que te vai na alma,
amor cúmplice
e um coração
que vive junto do meu!

Corpos que se consolam
nos momentos só nossos,
que sonham com o belo da Vida,
com o momento certo
e seus corações clamam:
não há vontade que se acabe!

 José Manuel Brazão

quinta-feira, 22 de março de 2012

Vicissitudes

Minha voz anda soando muda
Silenciosamente reclusa
Obtusa
Decepcionada com o viver
Suas vicissitudes - crueldades
E a carne grita surda
Como está meu coração.

Luciana Silveira

LU
Gosto de te ver aqui!
Beijooo do ZÉ

segunda-feira, 12 de março de 2012

Sempre

E ela mínima, titica de passarinho voando baixo, ouvindo as canções tocarem como se fossem feitas por  pessoas que querem cantar sua biografia. Descevendo com requintes de verdade sua vida de amores e dissabores. Desde cedo era calma, equilibrada mas o sangue de barata não circulava em suas veias. E ele agora fatalmente partiria para um lugar úmido, bolorento e miscelâneo. Seu silêncio falava alto aos  ouvidos dela, que simplesmente deixou de sonhar...Pensava que pronunciar o nome diminuiria a importância do significado da palavra mas antes que se calasse dizia espantada que a velha história deixava-a desarmada. E que ela prevaleceria. Voltaria em ciclos, redemoinhos, em fases da lua, em anos bissextos, em marés tão distantes de suas Gerais. E vinha um gosto de chocolate, um cheiro de azzarro misturado ao do amor.

Luciana Silveira

domingo, 11 de março de 2012

Meu Poema, minha Vida!

O espelho que não mente


Olho-me em ti
como meu companheiro
de todas as horas
vivendo as minhas angústias
por erros que não apagam
por amor que se pensou bem doado
vivendo as minhas tristezas
por querer ser melhor hoje do que fui ontem
na busca de me amar
para saber amar os outros
numa luta pela Vida
sempre constante, sem dimensão...
vivendo as minhas alegrias
dum sol nascente
com raios de esperança
e pensamento seguro
num caminhar
com corpo e alma renovados
e  a mão divina
ensinando o caminho libertador!
E olhando para ti
espelho da minha Vida
pela minha face lágrimas
com mistura de verdade e esperança,
 uma força que vive em mim
e com humildade aceitar
os desígnios de Deus
num destino que em mim existe
e olhando-te meu espelho da Vida
tu nunca me mentirás!


José Manuel Brazão

* Quem me conhece sabe que este poema é mesmo um espelho de mim *

sexta-feira, 9 de março de 2012